13 de janeiro de 2010

Data do azar ou da sorte?

Como pode a vida esquecer de viver?
Parecia tão pacata a nossa existência, sem saber realmente que você estaria lá, esperando por mim.
Pretendo não ter intenção alguma, desejo algum, amor algum.

Ele recusou o que de melhor eu poderia oferecer, a amizade.

Não conhecer as fronteiras espalhadas por nossa cara e corpo é algo desumano.

Prato sujo em cima da mesa, é você quem deve lavar.

:*

4 comentários:

Frederico Guimarães disse...

A percepção de azar ou sorte está em ver as coisas por todos os lados

belo post.
beijo !

Eu H Psicólogo disse...

Olá...
to te seguindo tambem!

se tiver msn add ai: hpontess@hotmail.com

Janaina disse...

Oieee coisa magrela,to de volta aqui no seu blog.

Rafael disse...

Certas coisas, incompreensíveis, quem sabe não as são por extrapolar o real? Algo da cabeça?

Mas acredito que haja arrependimento, apesar de tudo.

_

Apesar que a vida é mais, não?
E que podemos ser mais e contar com quem quer esse mais.

Adoro.
Beijos ='D

Postar um comentário

Sente-se, relaxe.