29 de setembro de 2009

Passando a poeira pra lá


Tá bom, tá bom, séculos sem dar o ar da graça pelo Blog.
Não vou nem tentar me desculpar, pois houveram muitas mudanças causadoras de minha ausência... é...deixe-me ver... desde JULHO?

Quando estiver de bem comigo mesma, o que não demora a ocorrer, explicarei. Saibam que estou em outra fase, mas não abandonei a Fabiana de antes, daqueles tempos, okay?







“Através de meus graves erros — que um dia eu talvez os possa mencionar sem me vangloriar deles — é que cheguei a poder amar. Até esta glorificação: eu amo o Nada.
A consciência de minha permanente queda me leva ao amor do Nada.
E desta queda é que começo a fazer minha vida.
Com pedras ruins levanto o horror, e com horror eu amo.
Não sei o que fazer de mim, já nascida, senão isto: Tu, Deus, que eu amo como quem cai no nada.”

Clarice Lispector.

3 comentários:

Ludmila Roumillac disse...

amei, roubei o trechinho, clarice é foda, pra sempre!!!

To de volta tbm e atualizada!!!

Besoss

André L Ramos (Kiko) disse...

Vc cortou o cabelo?
todo mundo ama essa tal lispector... acho que vou ler um texto dela pra entender isso...

Débora Andrade disse...

"com horror eu amo."

E, é tão bom amar!

Postar um comentário

Sente-se, relaxe.